A cúpula continental será realizada em 13 e 14 de abril na capital peruana. Kuczynski diz que plano para tirá-lo do poder está ridicularizando o Peru

Parlamentares de partidos distintos da oposição apresentaram na quinta-feira uma solicitação para que Kuczynski seja destituído, acusando-o de “incapacidade moral”, por supostamente mentir sobre suas ligações com a empreiteira brasileira Odebrecht, investigada por propinas em diversos países da América Latina.
Pedro Pablo Kuczynski durante reunião em Lima
6/2/2018 REUTERS/Guadalupe Pardo

LIMA (Reuters) – O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, disse nesta sexta-feira que a nova tentativa da oposição no Congresso de removê-lo de seu cargo está deixando o país “ridículo”, a poucas semanas de uma Cúpula das Américas que será realizada em Lima.

Parlamentares de partidos distintos da oposição apresentaram na quinta-feira uma solicitação para que Kuczynski seja destituído, acusando-o de “incapacidade moral”, por supostamente mentir sobre suas ligações com a empreiteira brasileira Odebrecht, investigada por propinas em diversos países da América Latina.

“O que estamos fazendo é colocar o Peru no ridículo, porque estamos dizendo: ‘Expulsamos o presidente que está trabalhando quando virão 35 presidentes da América”, disse Kuczynski em um discurso ao inaugurar obras públicas às margens do lago Titicaca, na fronteira sudeste do país.

A cúpula continental será realizada em 13 e 14 de abril na capital peruana.

Kuczynski, que assumiu o poder em julho de 2016, evitou uma destituição em dezembro graças ao apoio de um grupo de parlamentares dissidentes do maior partido opositor no Parlamento, Força Popular, que é liderado pela ex-candidata presidencial Keiko Fujimori.

O presidente voltou a criticar duramente as intenções do Congresso, que irá realizar sessão na próxima semana para avaliar se aceita o pedido de destituição antes de convocar uma sessão plenária.

Caso isto aconteça, Kuczynski, um ex-banqueiro de centro-direita de 79 anos, será convocado a uma sessão plenária para se defender. Para ter êxito, a destituição do presidente requer apoio de ao menos 87 dos 130 membros do Congresso.

“Eu vou me defender e não irei renunciar porque não fiz nada, nada”, afirmou. “Se eu morrer hoje, São Pedro irá me receber lá em cima e me dirá ‘Pedro Pablo, você está atuando bem, eu sei’. Minha consciência está limpa”, disse Kuczynski.

Reportagem de Marco Aquino

https://redealmeidense.com.br/mundo/wp-content/uploads/2018/03/lin.jpghttps://redealmeidense.com.br/mundo/wp-content/uploads/2018/03/lin-150x150.jpgMundoUncategorizedA cúpula continental será realizada em 13 e 14 de abril na capital peruana. Kuczynski diz que plano para tirá-lo do poder está ridicularizando o Peru LIMA (Reuters) - O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, disse nesta sexta-feira que a nova tentativa da oposição no Congresso de removê-lo de...As últimas notícias sobre o mundo: Notícia - Política - Economia e Negócios.