Semana chuvosa favorece desenvolvimento da 2ª safra de milho no centro-sul. A segunda safra de milho do Brasil, a chamada “safrinha”, deverá atingir um recorde de mais de 60 milhões de toneladas em 2016/17.

Semana chuvosa favorece desenvolvimento da 2ª safra de milho no centro-sul
Todos os anos surgem dúvidas sobre como o regime de chuvas irá afetar o desenvolvimento da segunda safra de milho

SÃO PAULO (Reuters) – O avanço de uma frente fria pelo Sul do país e áreas de instabilidade sobre o Centro-Oeste deverão provocar chuvas benéficas para lavouras de milho segunda safra nesta semana, disseram meteorologistas.

“A previsão é de chuvas na região da BR-163 no Mato Grosso, bem como no norte de Goiás e noroeste de Minas Gerais”, disse o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos, da RuralClima, destacando que as precipitações manterão os solos com bons níveis de umidade nestas regiões.

O serviço Agriculture Weather Dashboard, da Thomson Reuters, aponta chuvas sobre o Estado de Mato Grosso, maior produtor de milho do país, em todos os dias até pelo menos 9 de maio, com um acumulado de mais de 20 milímetros até sábado e de mais de 44 milímetros na próxima quinzena.

“Na quarta-feira, a frente fria chega ao sul de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, com volumes mais significativos comparados ao final de semana. As instabilidades atraem ainda a umidade da Amazônia, que espalha a chuva na região Norte, e forma um corredor de chuva sobre Mato Grosso e Goiás”, disse a Somar Meteorologia em um relatório nesta segunda-feira.

A segunda safra de milho do Brasil, a chamada “safrinha”, deverá atingir um recorde de mais de 60 milhões de toneladas em 2016/17, apontou uma pesquisa da Reuters na semana passada, com analistas dizendo que o clima até aqui tem sido favorável para o desenvolvimento das plantações, que foram semeadas há algumas semanas e deverão ser colhidas a partir do fim de maio.

Todos os anos surgem dúvidas sobre como o regime de chuvas irá afetar o desenvolvimento da segunda safra de milho, já que o início do período seco de inverno no Centro-Oeste pode ocorrer em um período em que os pés de milho ainda necessitam de água para seu desenvolvimento.

FRIO NO SUL

A frente fria que avança pelo Sul irá deixar o tempo bastante instável ao longo destas segunda e terça-feiras, disse Santos, prevendo que os trabalhos de colheita de soja no Rio Grande do Sul poderão ser momentaneamente interrompidos, assim como o plantio do trigo do Paraná.

“Mas como na quarta-feira o tempo voltará a abrir, os prejuízos serão mínimos”, disse o agrometeorologista.

A frente fria deverá provocar chuvas ao longo da semana também no Paraná, segundo maior produtor de milho “safrinha”. Por lá, 97 por cento das lavouras estão em boas condições, segundo relatório mais recente do Departamento de Economia Rural (Deral), que também apontou que mais de 80 por cento das áreas com o cereal estão em desenvolvimento vegetativo e floração, sendo que poucas já alcançaram as fases de frutificação e maturação.

Outro destaque da semana será a queda acentuada das temperaturas no Sul, onde as temperaturas poderão ficar pouco acima de zero grau nas serras gaúcha e catarinense.

“Essa massa de ar frio deve avançar pelo país e deixar as temperaturas mais baixas até mesmo no sul de Goiás”, disse o meteorologista Celso Oliveira, da Somar.

Contudo, não há riscos para formação de geadas em nenhuma localidade produtora de milho safrinha, café ou cana, porque nessas áreas as temperaturas não deverão cair abaixo dos 10 graus, destacou Santos.

(Por Gustavo Bonato)

http://redealmeidense.com.br/saopaulo/wp-content/uploads/2017/04/Semana-chuvosa-favorece-desenvolvimento-da-2ª-safra-de-milho-no-centro-sul-1024x684.jpghttp://redealmeidense.com.br/saopaulo/wp-content/uploads/2017/04/Semana-chuvosa-favorece-desenvolvimento-da-2ª-safra-de-milho-no-centro-sul-150x150.jpgSão PauloUncategorizedSemana chuvosa favorece desenvolvimento da 2ª safra de milho no centro-sul. A segunda safra de milho do Brasil, a chamada 'safrinha', deverá atingir um recorde de mais de 60 milhões de toneladas em 2016/17. SÃO PAULO (Reuters) - O avanço de uma frente fria pelo Sul do país e áreas...Senário econômico;Tudo sobre a cidade.