Quadro de medalhas. Jogos Olímpicos de Inverno de 2018

delegação brasileira está em PyeongChang para a disputa da Olimpíada de Inverno. Neste ano

Quadro de medalhas. Jogos Olímpicos de Inverno de 2018

delegação brasileira está em PyeongChang para a disputa da Olimpíada de Inverno. Neste ano
Brasil disputa provas em cinco esportes: bobsled, snowboard, patinação artística, esqui cross-country e esqui alpino

A delegação brasileira está em PyeongChang para a disputa da Olimpíada de Inverno. Neste ano, o país tem dez representantes, sendo um deles reserva, que disputam cinco esportes: snowboard (Isabel Clark), esqui alpino (Michel Macedo), patinação artística (Isadora Williams), esqui cross-country (Jaqueline Mourão e Victor Santos) e bobsled (Edson Bindilatti, Edson Martins, Odirlei Pessoni, Rafael Souza e Erick Vianna).

OLIMPÍADAS DE INVERNO

competição dos brasileiros em PyeongChang

Americanas e canadenses brigam em partida de hóquei na Olimpíada de Inverno

O Canadá ocupa a liderança do grupo A com três vitórias em três jogos, 11 gols marcados e apenas dois sofridos.

Americanas e canadenses brigam em partida de hóquei na Olimpíada de Inverno
Em duelo com vitória do Canadá, jogadoras se estranham no fim da partida.

O Canadá ocupa a liderança do grupo A com três vitórias em três jogos, 11 gols marcados e apenas dois sofridos.
Por GloboEsporte.com, PyeongChang, Coreia do Sul
15/02/2018 07h59 Atualizado há 1 hora

Estados Unidos e Canadá sempre protagonizam grandes jogos no hóquei no gelo. E no confronto entre as duas equipes pelo grupo A na Arena de Hóquei, em PyeongChang, não foi diferente. As canadenses levaram a melhor e venceram o clássico por 2 a 1. E no fim da partida, o clima esquentou. Em um lance disputado perto do gol canadense, as atletas começaram uma confusão com quase todas as jogadoras, que precisaram ser separadas pelas árbitras.

O primeiro período da partida válida pelo grupo A acabou 0 a 0. No segundo período, o Canadá conseguiu tirar o zero do placar e abriu 2 a 0 no marcador com gols de Meghan Agosta e Sarah Nurse. No terceiro período, as americanas descontaram com Kendall Coyne. E foi no fim do terceiro período que as jogadoras se estranharam após confusão em frente ao gol canadense. Jogadoras começaram a briga, e as árbitras tiveram dificuldade para acabar com a confusão.

O Canadá ocupa a liderança do grupo A com três vitórias em três jogos, 11 gols marcados e apenas dois sofridos. Os Estados Unidos estão em segundo, com duas vitórias e uma derrota, nove gols feitos e três sofridos.

Jaqueline Mourão abre participação brasileira nos Jogos de Inverno

nos Jogos de Inverno Aos 42 anos, esquiadora disputará na Coreia do Sul os 10 km no estilo livre do esqui cross country

Aos 42 anos, esquiadora disputará na Coreia do Sul os 10 km no estilo livre do esqui cross country. Jaqueline Mourão abre participação brasileira nos Jogos de Inverno.

nos Jogos de Inverno Aos 42 anos, esquiadora disputará na Coreia do Sul os 10 km no estilo livre do esqui cross country
Jaqueline Mourão disputa a sua sexta edição dos Jogos. Foto: Roberto Nahom/COB

A esquiadora Jaqueline Mourão vai abrir a participação brasileira nos Jogos Olímpicos de Inverno com a disputa dos 10 km no estilo livre do esqui cross country na madrugada de quinta-feira (4h30 horário de Brasília). O fato de ser a primeira brasileira a concorrer na Coreia do Sul tem uma carga simbólica importante na carreira da multiatleta de 42 anos. Ela está acostumada a ser pioneira.

+ Japonês da patinação de velocidade protagoniza o 1º caso de doping em Pyeongchang

+ Atleta leva bi olímpico no luge e Alemanha segue na ponta do quadro de medalhas

Nos Jogos de Atenas, em 2004, ela se tornou a primeira brasileira a disputar uma prova de mountain bike. Até hoje, o seu 18.º lugar é o melhor resultado feminino do Brasil na modalidade. Dois anos depois, quando encarou uma tempestade de neve no Canadá, onde mora há 12 anos, ela descobriu o esqui cross country, o mais antigo tipo de esqui e que surgiu com os povos nórdicos que se locomoviam em regiões cobertas de neve. Sem condições de pedalar, passou a esquiar.

Em 2006, ela se classificou para os Jogos de Inverno de Turim. Com isso, virou a primeira brasileira a se classificar para os Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno. Em 2010, nos Jogos de Vancouver, ampliou o leque e disputou também o biatlo (prova que combina esqui e tiro ao alvo). Com essas idas e vindas, Jaque está completando sua sexta participação nos Jogos Olímpicos (foram quatro de Inverno e duas de Verão). Ela iguala o recorde da jogadora de futebol Formiga. O termo “multiatleta”, portanto, não é exagero. “Se tivesse de fazer novamente, faria tudo”.

Para a disputa na Coreia do Sul, ela está conseguindo controlar a ansiedade. “O estresse é meu amigo. Para ter uma performance de alto nível você tem que estar sendo estimulada para poder dar o seu melhor”, diz.

Jaqueline afirma que a prova dos 10 km estilo livre é a sua preferida. No estilo clássico, os atletas usam passos largos na diagonal, dois bastões e zigue-zagues. No livre, os esquiadores impulsionam a borda interna do esqui na neve. Apesar de mais veloz, a técnica só é possível em neve firme. “Quero bater meu resultado de Vancouver e dar trabalho para as atletas tradicionais”, planeja.

Também na quinta-feira, às 23h, a snowboarder Isabel Clark estará vivendo os momentos que antecedem a sua despedida olímpica. A responsável pelo melhor resultado brasileiro em Jogos de Inverno – a nona colocação em 2006 – vai disputar a prova de snowboard cross. Pyeongchang será a quarta e última disputa olímpica da atleta carioca de 41 anos.

Coreia do Sul aprova orçamento recorde de U$2,6 mi para visita olímpica de norte-coreanos

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convidou esportistas, torcedores e autoridades da Coreia do Norte para os Jogos na tentativa de arrefecer meses de tensão entre Pyongyang,

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convidou esportistas, torcedores e autoridades da Coreia do Norte Coreia do Sul aprova orçamento recorde de U$2,6 mi para visita olímpica de norte-coreanos.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convidou esportistas, torcedores e autoridades da Coreia do Norte para os Jogos na tentativa de arrefecer meses de tensão entre Pyongyang,

Equipe de líderes de torcida da Coreia do Norte em Pyeongchang, na Coreia do Sul 14/02/2018 REUTERS/Mike Segar

SEUL (Reuters) – A Coreia do Sul aprovou nesta quarta-feira o gasto de um valor recorde equivalente a 2,64 milhões de dólares para financiar a hospedagem de centenas de norte-coreanos durante a Olimpíada de Inverno de Pyeongchang.

O Ministério da Unificação disse que os recursos serão usados para gastos como acomodações e alimentação para a torcida organizada, a orquestra, atletas de taekwondo, jornalistas e pessoal de apoio que visitaram ou ainda se encontram na Coreia do Sul devido aos Jogos.

O grupo como um todo soma 424 norte-coreanos.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convidou esportistas, torcedores e autoridades da Coreia do Norte para os Jogos na tentativa de arrefecer meses de tensão entre Pyongyang, Seul e Washington devido aos programas nuclear e de mísseis do regime.

A cifra final do pagamento total por todos os norte-coreanos que visitaram o país durante o evento será revelada mais tarde, disse o porta-voz do ministério, Baik Tae-hyun, em um boletim.

Os custos para acolher a delegação de autoridades de alto nível, que incluiu Kim Yo Jong, irmã do líder norte-coreano, Kim Jong Un, não saíram do orçamento governamental, acrescentou Baik, sem dar detalhes.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) arcará com os gastos de 22 atletas norte-coreanos também presentes no vizinho do sul.

As viagens entre as duas Coreias têm sido impossíveis sem a aprovação dos dois governos desde a guerra de 1950-53, que dividiu a península e terminou em uma trégua, e não um tratado de paz.

Barcelona garante vaga na final da Copa do Rei e Coutinho marca

Coutinho, que deixou o Liverpool rumo ao Barça por 142 milhões de libras (197,66 milhões

O Valencia dominou o primeiro tempo em um estádio Mestalla lotado. Barcelona garante vaga na final da Copa do Rei e Coutinho marca.

BARCELONA (Reuters) – O Barcelona chegou à final da Copa do Rei pelo quinto ano seguido, um recorde, nesta quinta-feira com a vitória por 2 x 0 na partida de volta contra o Valencia, na qual Philippe Coutinho marcou seu primeiro gol pelo clube, que garantiu a vitória por 3 x 0 na soma dos placares das duas partidas da semifinal.

O Valencia dominou o primeiro tempo em um estádio Mestalla lotado, com os donos da casa tentando reverter a desvantagem de 1 x 0 na partida de ida, mas as esperanças de uma reviravolta foram frustradas quando Coutinho aproveitou um cruzamento de Luís Suárez para marcar aos 4 minutos do segundo tempo.

Coutinho, que deixou o Liverpool rumo ao Barça por 142 milhões de libras (197,66 milhões de dólares), um recorde para o clube, em janeiro, estava em campo a menos de três minutos quando marcou. Ivan Rakitic ampliou a vantagem dos visitantes nos minutos finais.

O Barcelona conquistou a Copa do Rei nos últimos três anos e enfrentará o Sevilla na final, marcada para 21 de abril. Será uma repetição da final de 2016, vencida pelos catalães por 2 x 0 na prorrogação.

Diplomacia é testada no início dos Jogos de Inverno na Coreia do Sul

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que quer capitalizar o espírito olímpico para abrir caminho. Diplomacia é testada no início dos Jogos de Inverno na Coreia do Sul

PYEONGCHANG, Coreia do Sul (Reuters) – A Olimpíada de Inverno teve início com uma cerimônia vívida e colorida de fogo e gelo na Coreia do Sul nesta sexta-feira, e a diplomacia foi igualmente coreografada no estádio onde líderes de nações que são inimigas declaradas se sentaram juntos.

A Coreia do Sul, que está usando os Jogos de Pyeongchang para se aproximar da Coreia do Norte, colocou seu presidente ao lado do vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, com dois dos funcionários norte-coreanos mais graduados na fileira de trás.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que quer capitalizar o espírito olímpico para abrir caminho para conversas sobre o programa nuclear e de mísseis de Pyongyang, apertou a mão da irmã do líder norte-coreano, Kim Jong Un, e também do chefe de Estado nominal do país vizinho.

Seul ainda está tecnicamente em guerra com a Coreia do Norte, já que a Guerra da Coreia de 1950-53 terminou apenas em uma trégua, e os EUA e Pyongyang trocaram ameaças nucleares recentemente.

Sublinhando os esforços de Moon para se reengajar com o vizinho do norte, a cerimônia de abertura teve como enredo a história de crianças que perambulam por uma paisagem mítica e enevoada e descobrem um mundo onde as pessoas vivem em paz e harmonia.

A Olimpíada está causando algum alívio após anos de relações tensas entre Seul e Pyongyang, embora poucas horas antes da cerimônia centenas de manifestantes anti-Coreia do Norte tenham enfrentado a polícia diante do estádio, queimando bandeiras norte-coreanas e fotos de seu líder.

O fevereiro gelado da Coreia do Sul, onde as temperaturas chegaram a 20 graus Celsius negativos de noite, foi um choque para atletas e visitantes na véspera do evento, causando temores de hipotermia na cerimônia de abertura.

O clima ficou um pouco mais ameno do que o previsto nesta sexta-feira, mas mesmo assim os espectadores procuravam ficar próximos dos aquecedores, segurando bolsas quentes e tomando sopa de peixe com purê de batata fumegante para afugentar o frio.

Protegida por uma echarpe, uma máscara e um chapéu de lã, com bolsas quentes enfiadas no cobertor de joelho, Shin Hye-sook, de 60 anos, disse que ela e suas três colegas estavam conseguindo aguentar o frio.

“Não tem problema, a menos que o vento sopre. Estamos sentadas o mais próximo possível e tentando não nos mexer muito para poupar nossa energia”.

Por Peter Rutherford; Reportagem adicional de James Pearson, Hyunjoo Jin e Jane Chung

Atletas das Coreias desfilam juntos na abertura dos Jogos de Inverno

Antes da recepção, que teve como anfitrião o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a mídia local disse que Pence poderia se sentar diante de Kim Yong Nam, chefe de Estado nominal da Coreia do Norte, em uma mesa de 12 lugares.

Atletas das Coreias desfilam juntos na abertura dos Jogos de Inverno; Pence evita encontro com autoridade norte-coreana

Atletas das Coreias desfilam juntos na abertura dos Jogos de Inverno; Pence evita encontro com autoridade norte-coreana
Hwang Chung Gum e Won Yunjong da Coreia carregam bandeira nacional durante cerimônia de abertura da Olimpíada de Inverno de Pyeongchang 09/02/2018 REUTERS/Eric Gaillard

SEUL/PYEONGCHANG, Coreia do Sul (Reuters) – O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, fez apenas uma aparição breve em uma recepção que marcou o início da Olimpíada de Inverno nesta sexta-feira, evitando um encontro potencialmente constrangedor com o líder cerimonial da Coreia do Norte, que compareceu ao mesmo evento.

A recepção no resort montanhoso de Pyeongchang ocorreu horas antes de atletas das duas Coreias desfilarem juntos na cerimônia de abertura dos Jogos, após meses de trabalho de Seul, que quer usar os Jogos para amenizar as tensões causadas pela busca norte-coreana por armas nucleares.

Antes da recepção, que teve como anfitrião o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, a mídia local disse que Pence poderia se sentar diante de Kim Yong Nam, chefe de Estado nominal da Coreia do Norte, em uma mesa de 12 lugares.

Mas a Casa Azul presidencial da Coreia do Sul disse que Pence tinha um encontro marcado com atletas de seu país e que só planejou ficar pouco tempo para cumprimentar outras autoridades.

Pence trocou apertos de mão com outros líderes, incluindo o primeiro-ministro japonês e aliado próximo Shinzo Abe, mas não com Kim Yong Nam, de acordo com um funcionário da Casa Azul.

Mais cedo nesta sexta-feira Pence disse que Moon deu seu apoio a medidas adicionais que os EUA estão planejando para conter os programas nuclear e de mísseis de Pyongyang, falando depois de prestar uma homenagem em um memorial sul-coreano.

Na cerimônia de abertura dos Jogos, Kim Yong Nam e a irmã do líder norte-coreano, Kim Jong Un, acenaram para atletas sul e norte-coreanos, que desfilaram sob uma bandeira da península unificada pela primeira vez em uma década.

Mais tarde Moon declarou a Olimpíada oficialmente iniciada, seguido por uma explosão de fogos de artifício. Kim Yuna, estrela sul-coreana da patinação artística e medalhista olímpica de ouro, acendeu a pira olímpica.

A delegação de alto escalão da Coreia do Norte chegara ao vizinho do sul mais cedo nesta sexta-feira a bordo do jato particular de Kim Jong Un.

Kim Yo Jong, a irmã do líder norte-coreano, e sua delegação foram recebidas por autoridades do governo, inclusive o Ministro da Unificação, Cho Myong-gyon, antes de embarcar em um trem-bala para Pyeongchang. Um trem especial havia sido preparado só para os visitantes, informou um comunicado da Casa Azul.

Pence havia deixado em aberto a possibilidade de algum contato com os norte-coreanos na Coreia do Sul, mas reiterando a insistência de Washington de que a desnuclearização da Coreia do Norte é uma condição necessária para uma paz permanente.

Coreia do Norte e Coreia do Sul podem desfilar juntas

Bandeiras da Coreia do Sul e Coreia do Norte são vistas durante evento esportivo em Incheon 20/09/2014 REUTERS/Issei Kato

Coreia do Norte e Coreia do Sul podem desfilar juntas em Jogos de Pyeongchang, diz fonte. Essa possibilidade, assim como uma equipe conjunta de hóquei no gelo feminina, está entre diversas propostas

Bandeiras da Coreia do Sul e Coreia do Norte são vistas durante evento esportivo em Incheon 20/09/2014 REUTERS/Issei Kato
Bandeiras da Coreia do Sul e Coreia do Norte são vistas durante evento esportivo em Incheon 20/09/2014 REUTERS/Issei Kato

(Reuters) – Atletas da Coreia do Norte e da Coreia do Sul podem desfilar juntos na cerimônia de abertura da Olimpíada de Inverno de Pyeongchang no próximo mês, de acordo com uma proposta que o Comitê Olímpico Internacional (COI) irá considerar na próxima semana, disse uma fonte.

Essa possibilidade, assim como uma equipe conjunta de hóquei no gelo feminina, está entre diversas propostas que o COI irá discutir, disse uma fonte que faz parte do movimento olímpico à Reuters nesta quinta-feira.

Os dois países, que tecnicamente ainda estão em guerra após o conflito de 1950 a 1953 ter terminou com uma trégua, concordaram na terça-feira que a Coreia do Norte irá enviar uma grande delegação para o outro lado da fronteira para os Jogos do próximo mês.

O acordo foi alcançado durante as primeiras conversas oficiais entre os dois países em mais de dois anos, e em meio a tensões sobre o programa de armas da Coreia do Norte.

O COI realizará conversas na Suíça no dia 20 de janeiro para discutir detalhes sobre a participação da Coreia do Norte nos Jogos.

Olimpíada em Los Angeles pode convencer patrocinadores a renovarem contratos com COI

Olimpíada em Los Angeles

Ainda que esteja a mais de uma década de distância, a Olimpíada de Los Angeles em 2028 pode beneficiar os esforços do Comitê Olímpico Internacional (COI)

SAN FRANCISCO (Reuters) – Ainda que esteja a mais de uma década de distância, a Olimpíada de Los Angeles em 2028 pode beneficiar os esforços do Comitê Olímpico Internacional (COI) para prorrogar os lucrativos contratos com patrocinadores de primeiro escalão como Visa e Coca-Cola, disseram especialistas em patrocínio olímpico.

Los Angeles concordou em sediar a Olimpíada de 2028 depois de desistir de uma disputa com Paris pelos Jogos de 2024. Escolher as sedes de dois Jogos simultaneamente é raro para o COI, e em circunstâncias normais a sede de 2028 só seria conhecida em 2021.

As multinacionais Visa, Coca-Cola, Procter & Gamble, Dow Chemical e General Electric, sediadas nos Estados Unidos, representam cerca de metade do programa de patrocinadores de ponta do COI, que contribuem com mais de 1 bilhão de dólares em cada ciclo olímpico de quatro anos.

Os atuais acordos de todas estas marcas com o COI vencem em 2020, depois dos Jogos de Tóquio.

Ao menos um patrocinador sediado nos EUA, que falou à Reuters sob condição de anonimato, disse estar ansioso por ver o evento voltar a seu país depois de tantos anos.

“L.A. é um mercado doméstico, um mercado norte-americano para estas empresas que dá um tremendo impulso à probabilidade de continuarem como patrocinadores”, disse Rob Prazmark, diretor-executivo da 21 Sports & Entertainment Marketing Group, que ajudou a criar o programa de patrocinadores de ponta do COI.

Os Jogos de 2028, os primeiros nos EUA desde Atlanta 1996, podem ser um fator nas discussões de renovação com os patrocinadores atualmente em andamento, segundo John Grady, professor de legislação do esporte da Universidade da Carolina do Sul.

“A partir do momento em que você tem uma cidade americana, isso acende uma chama debaixo daquela marca dos EUA. Eles têm uma razão para renovar que não existiria sem isso”, afirmou.

Como as três próximas Olimpíadas serão na Ásia (incluindo dois Jogos de Inverno), alguns patrocinadores sediados nos EUA desistiram de seus acordos de patrocínio olímpico oficial, mas o COI assinou com novos patrocinadores com sede na Ásia, como o Alibaba Group Holding.

O McDonald’s encerrou um acordo de patrocínio de 41 anos com o COI em junho, e o Comitê Olímpico dos EUA também perdeu patrocinadores como AT&T e Citigroup antes dos Jogos de Inverno de 2018 na Coreia do Sul.

Visa e Coca-Cola não quiseram comentar, dizendo somente que seus acordos olímpicos vão até 2020. COI, P&G, Dow e GE não responderam a um pedido de comentário. A Intel, que se tornou patrocinadora em junho, está comprometida até 2024 e não quis comentar.

McDonald’s encerra patrocínio de décadas aos Jogos Olímpicos

Logo do McDonald's do lado de fora de restaurante em Westminster, no Colorado, Estados Unidos. 23/01/2017 REUTERS/Rick Wilking. McDonald's encerra patrocínio de décadas aos Jogos Olímpicos.

McDonald’s encerra patrocínio de décadas aos Jogos Olímpicos, de apoio aos Jogos Olímpicos três anos antes do esperado, informou o COI nesta sexta-feira.

BERLIM (Reuters) – O McDonald’s encerrou seu acordo de patrocínio ao Comitê Olímpico Internacional (COI), que já durava 41 anos, rompendo o contrato de apoio aos Jogos Olímpicos três anos antes do esperado, informou o COI nesta sexta-feira.

A companhia norte-americana, patrocinadora dos Jogos Olímpicos desde 1976 e parte do programa de principais patrocinadores do COI que contribuem com mais de um bilhão de dólares a cada ciclo de quatro anos, tinha contrato em vigor até 2020, incluindo a Olimpíada de Tóquio.

“No mundo de negócios de hoje que avança rapidamente, nós entendemos que o McDonald’s esteja procurando focar em diferentes prioridades de negócios”, disse Timmo Lumme, diretor de Televisão e Serviços de Marketing do COI, em comunicado.

“Por essas razões, nós concordamos mutuamente com o McDonald’s em nos separar”.

A diretora de Marketing do McDonald’s, Silvia Lagnado, disse no comunicado do COI: “Como parte de nosso plano global de crescimento, nós estamos reconsiderando todos os aspectos de nossos negócios e tomamos essa decisão em cooperação com o COI para focar em diferentes prioridades”.

O McDonald’s, que se associou aos Jogos Olímpicos pela primeira vez em 1968, era o patrocinador de varejo de alimentos.

Apesar de se retirar com efeito imediato, o McDonald’s vai continuar nas Olimpíadas de inverno de Pyeongchang no próximo ano como patrocinador com direitos de marketing internos.

O COI disse não estar planejando um substituto direto no departamento de varejo de alimentos.

(Reportagem de Karolos Grohmann)