Malásia proíbe “Despacito” em emissoras estatais após reclamações sobre “letra obscena”

Malásia proíbe “Despacito” em emissoras estatais após reclamações sobre “letra obscena” muçulmana reclamaram que a letra da canção é obscena.

Luis Fonsi, cantor da música "Despacito", durante apresentação na Flórida 30/04/2015

Luis Fonsi, cantor da música “Despacito”, durante apresentação na Flórida 30/04/2015


KUALA LUMPUR (Reuters) – A Malásia baniu a música latina “Despacito” de rádios e emissoras de televisão estatais, depois que críticos no país de maioria muçulmana reclamaram que a letra da canção é obscena.

A proibição foi anunciada na emissora pública Radio Televisyen Malaysia (RTM), na quarta-feira, pelo ministro de Comunicações e Multimídia, Salleh Said Keruak, mas a música ainda pode ser reproduzida em estações privadas e plataformas online.

“A RTM não irá transmitir a música em nenhuma de suas estações de televisão ou rádio em efeito imediato”, disse o ministro em comunicado à Reuters, acrescentando que decisão foi tomada após reclamações do público.

“Essa decisão se aplica apenas à RTM”, acrescentou. “Todas as outras estações de TV e rádio são guiadas por seus próprios processos de avaliação diante ao Código de Conteúdo de Comunicações e Multimídia”.

A ala feminina de um partido islâmico da Malásia havia pedido pela proibição da música devido a sua “letra obscena”.

“Eu vejo como uma questão séria, já que a música está sendo cantada por pessoas jovens sem conhecer o real significado das palavras”, disse Atriza Umar, uma autoridade do partido Amanah, em comunicado.

A Malásia já proibiu anteriormente o lançamento de filmes de Hollywood considerados ofensivos para valores religiosos. O lançamento do título da Walt Disney “A Bela e a Fera” foi adiado este ano depois que censores cortaram um “momento gay” do filme.

Reportagem de Rozanna Latiff e Emily Chow

Deixe uma resposta