Carnaval 2018: dez atrações imperdíveis desta sexta (9)

Circuito Barra/Ondina recebe Saulo, Léo Santana, Claudia Leitte, Psirico, Anitta, Kannário e mais

Carnaval 2018: dez atrações imperdíveis desta sexta (9).Circuito Barra/Ondina recebe Saulo, Léo Santana, Claudia Leitte, Psirico, Anitta, Kannário e mais.

Circuito Barra/Ondina recebe Saulo, Léo Santana, Claudia Leitte, Psirico, Anitta, Kannário e mais
Circuito Barra/Ondina recebe Saulo, Léo Santana, Claudia Leitte, Psirico, Anitta, Kannário e mais

A sexta-feira (9) de Carnaval será de muita diversidade em Salvador. Com as grandes estrelas da axé music e também artistas de fora, o destaque do dia vai para o circuito Dodô (Barra/Ondina), que recebe, às 15h30, a Pipoca de Saulo, do cantor Saulo Fernandes. Hoje tem ainda Bell Marques (16h), Léo Santana (16h30), Claudia Leitte (17h), Psirico (19h15), Anitta (20h), Carlinhos Brown (20h15), Parangolé (20h15), Luiz Caldas (20h30) e Igor Kannário (21h). Sensação do Carnaval com o hit Popa da Bunda, ÀTTØØXXÁ vai fazer participação no trio da Anitta.

16h30
Nana Banana: Léo Santana

17h00
Timbalada/Blow Out: Claudia Leitte

Ludmilla e, anteriormente, como MC Beyoncé

Ludmilla nasceu em 24 de abril de 1995, filha de Silvana Oliveira, que é quem atualmente cuida do seu dinheiro

Ludmilla e, anteriormente, como MC Beyoncé,é uma cantora, compositora, dançarina e empresária brasileira, que alcançou a fama em 2012 com a canção “Fala Mal de Mim”

Ludmilla nasceu em 24 de abril de 1995, filha de Silvana Oliveira, que é quem atualmente cuida do seu dinheiro
Oito meses após o inicio de sua transição capilar, a famosa cantora Ludmilla mostra o belíssimo resultado que ela obteve com a corajosa decisão até agora

Ludmilla nasceu em 24 de abril de 1995, filha de Silvana Oliveira, que é quem atualmente cuida do seu dinheiro. Algumas fontes apontam que ela nasceu em Duque de Caxias e outras na cidade do Rio de Janeiro,mas sabe-se que foi criada no subúrbio de Duque de Caxias.

Com oito anos, Ludmilla já soltava a voz cantando nos pagodes da família e parentes, junto com o grupo de pagode do padrasto, foi ali que a família percebeu que a cantora tinha talento. Seu antigo nome artístico era inspirado na cantora estadunidense Beyoncé.

Em 2013 assinou contrato com a gravadora Warner para lançar seu álbum de estréia, Hoje que foi lançado em 26 de agosto de 2014. “Sem Querer”, “Hoje”, “Te Ensinei Certin”, “Não Quero Mais” e “24 Horas por Dia”, foram lançados como singles de avanço.

Ludmilla começou postando vídeos cantando no site YouTube, que não tinham muitas visualizações. Até que em uma festa, a pessoa que fazia as batidas falou que precisava de alguém que cantasse. A funkeira era a única que cantava e sabia rimar na hora. Arriscou e todo mundo adorou.

Os organizadores de festas começaram a chamá-la para cantar. O tio de Ludmilla levou-a para um cara que fazia produções com o gênero musical do funk, e foi quando, ela gravou a música “Fala Mal de Mim” em maio de 2012, conquistando mais de 15 milhões de visualizações no YouTube.

Ficou famosa pela sua voz estridente e marcante, além das letras falando de mulheres invejosas e exaltando sua personalidade. O videoclipe oficial, publicado em outubro do mesmo ano, contabiliza mais de 4 milhões de visualizações.

A faixa produzida por DJ Will 22 tem em sua introdução um sample do clássico gospel “Oh Happy Day”, na versão do St. Francis Choir oriunda da trilha sonora do filme Mudança de Hábito 2, e precede o alerta da MC àqueles que a invejam, na letra cujo refrão diz: “Não olha pro lado, quem tá passando é o bonde/Se ficar de caozada, a porrada come”

Morre Luiz Melodia aos 66 anos, em decorrência de câncer de medula

Luiz Carlos dos Santos (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1951

Luiz Carlos dos Santos (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1951 – Rio de Janeiro, 4 de agosto de 2017), mais conhecido como Luiz Melodia.

Prêmio MPB / Melhor Cantor - Luiz Melodia - 26° Prêmio da Música Brasileira 2015, no Theatro Municipal, no Centro do Rio de Janeiro/RJ. (10/06/15) Foto: Roberto Filho/Divulgacão
Prêmio MPB / Melhor Cantor – Luiz Melodia – 26° Prêmio da Música Brasileira 2015, no Theatro Municipal, no Centro do Rio de Janeiro/RJ. (10/06/15) Foto: Roberto Filho/Divulgacão

Luiz Carlos dos Santos (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1951 – Rio de Janeiro, 4 de agosto de 2017), mais conhecido como Luiz Melodia, foi um ator, cantor e compositor brasileiro de MPB, rock, blues, soul e samba. Filho do sambista e compositor Oswaldo Melodia, de quem herdou o nome artístico, cresceu no morro de São Carlos no bairro do Estácio.

Luiz Melodia

Foi casado com a cantora, compositora e produtora Jane Reis de 1977 até sua morte, e era pai do rapper Mahal Reis (1980).

REDE GLOBO

Lança seu primeiro LP em 1973, Pérola Negra. No “Festival Abertura”, competição musical da Rede Globo, consegue chegar à final com sua canção “Ébano”.

Nas décadas seguintes Melodia lançou diversos álbuns e realizou shows no Brasil e na Europa. Em 1987, apresentou-se em Chateauvallon, na França, e em Berna, Suíça. Em 1992, participou do “III Festival de Música de Folcalquier”, na França, e, em 2004, do Festival de Jazz de Montreux, à beira do Lago Leman, onde se apresentou no Auditorium Stravinski, palco principal do festival.

Participou do quarto disco solo do titã Sérgio Britto, lançado em setembro de 2011 (Purabossanova).

PRÊMIO

Em 2015, ganhou o 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantor de MPB.

Morre Luiz Melodia aos 66 anos, em decorrência de câncer de medula – Luiz Carlos dos Santos, Luiz Melodia, nasceu no morro do Estácio,bairro da cidade do Rio de Janeiro, no dia 7 de janeiro de 1951. Único filho homem de Oswaldo e Eurídice, descobriu a música ao ver o pai tocando em casa: “Fui pegando a viola dele, tirando uns acordes, observando. Ele não deixava eu pegar a viola de 4 cordas que era uma relíquia, muito bonita, onde eu aprendi a tocar umas coisas.“

Apesar da precoce afinidade com a música, Luiz acabou contrariando seu pai, que sonhava vê-lo um “doutor” formado: “Ele não apoiava, não adiantou coisíssima alguma, até porque as coisas foram acontecendo. Depois ele veio a curtir para caramba, quando ele faleceu, perdi um grande fã.”, releva.

Começou sua carreira musical em 1963 com o cantor Mizinho, ao mesmo tempo em que trabalhava como tipógrafo, vendedor, caixeiro e músico em bares noturnos. Em 1964 formou o conjunto musical Os Instantâneos, com Manoel, Nazareno e Mizinho. Depois de abandonar o ginásio Melodia passou a adolescência compondo e tocando sucessos da jovem guarda e bossa nova, com o grupo ‘Instantâneos” formado com amigos.

Essa experiência juntamente com a atmosfera em que vivia – do tradicional samba dos morros cariocas – , resultaram em uma mescla de influências que renderam a Luiz Melodia um estilo único, logo acabou por chamar atenção de um assíduo frequentador do morro do Estácio, o poeta Wally Salomão e de Torquato Neto. Através de Wally, Gal Costa acabou conhecendo um de seus compositores prediletos, resultando na gravação de “Pérola negra” no disco “Gal a todo vapor” de 1972. Pouco depois era vez de “Estácio, Holly Estácio”, ganhar sua interpretação na voz de Maria Bethânia. Foi nesta época que o artista assumiu então o nome de Luiz Melodia – apropriando o sobrenome artístico de seu pai Oswaldo – , e lançou no ano seguinte (1973) seu primeiro e antológico disco “Pérola negra” sua postura porém, mantinha a mesma irreverência e inquietude, da do garoto que tocava iê-iê-iê nos berços de samba carioca, que lhe rendeu um estilo musical inconfundível, assim como críticas que o consideravam um artista “maldito”, ao lado de nomes como Fagner e João Bosco, por exemplo. “Não éramos pessoas que obedeciam. Burlávamos, pode-se dizer assim, todas as ordens da casa, da gravadora; rompíamos com situações que não nos convinham. Sempre acreditei naquilo que fiz e faço” afirma o Luiz.

Sua carreira acabou por consolidar-se no disco seguinte, “Maravilhas contemporâneas” (1976), popularizado pela canção “Mico de circo” (1978), que seria gravado em seu retorno ao Rio.

Nas décadas seguintes Melodia lança diversos álbuns e realiza shows, inclusive internacionais. Em 1987 apresenta-se em Chateauvallon, na França e em Berna, Suíça, além de participar em 1992 do “III festival de Música de Folcalquier” na França e em 2004 do Festival de Jazz de Montreux à beira do lago Lemán, onde se apresentou no auditório Stravinski, palco principal do festival.

Já conhecido do público e tendo alcançado seu espaço no cenário da MPB, Luiz Melodia lança “Nós” em 1980, incluindo “Codinome beija-flor”. No disco seguinte “Relíquias” (1985), faz uma releitura com novos arranjos para sucessos como “Ébano”, “Subanormal” – e no registro intimista intenso de “Acústico – ao vivo” (1999), em que Melodia passeia novamente por sua obra, agora através da espontaneidade de um disco gravado ao vivo durante sua turnê nacional, considerado sucesso de público e crítica.

Luiz Melodia morre aos 66 anos, em decorrência de câncer de medula

cantor, compositor e músico carioca Luiz Carlos dos Santos, o Luiz Melodia, morreu na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ)

O cantor, compositor e músico carioca Luiz Carlos dos Santos, o Luiz Melodia, morreu na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ), aos 66 anos.

A informação foi confirmada ao colunista musical do G1 por Renato Piau
A informação foi confirmada ao colunista musical do G1 por Renato Piau

O cantor, compositor e músico carioca Luiz Carlos dos Santos, o Luiz Melodia, morreu na cidade natal do Rio de Janeiro (RJ), aos 66 anos, em decorrência de complicações de um câncer que atacou a medula óssea. Melodia morreu na madrugada de hoje, 4 de agosto, por volta das cinco horas da manhã. A informação foi confirmada ao colunista musical do G1 por Renato Piau, guitarrista que tocou com Melodia, após ligação para a família do artista. Melodia chegou a fazer um transplante de medula óssea e resistiu ao procedimento, mas não vinha respondendo bem à quimioterapia. O câncer voltou e o estado de saúde de Melodia se agravou bastante ontem. O artista estava internado no hospital Quinta D’Or.

Ele cantava que o nome dele era ébano na música que defendeu no festival Abertura, exibido pela TV Globo em 1975. Na certidão de nascimento, o nome era Luiz Carlos dos Santos. Mas o Brasil o conhecia mesmo pelo nome artístico de Luiz Melodia. Nascido em 7 de janeiro de 1951 no morro do Estácio, o bairro da cidade natal que ele cantou poeticamente em um dos sambas mais conhecidos do repertório gravado a partir da década de 1970, Luiz Melodia saiu de cena hoje em decorrência de complicações de um câncer de medula óssea conhecido cientificamente como mieloma múltiplo, mas fica eternamente em lugar de honra na história da música brasileira.

Tinha 66 anos de vida e 46 de carreira, se estabelecido como marco zero da trajetória profissional o lançamento da música Pérola negra em 1971 na voz de Gal Costa. Pérola negra era um dos destaques do show Fa-tal – Gal a todo vapor. No ano seguinte, Maria Bethânia lançou o samba Estácio, Holy, Estácio no álbum Drama (1972), abrindo caminho para que Melodia lançasse em 1973 pela gravadora Philips o primeiro álbum, Pérola negra, um dos clássicos da música brasileira de todos os tempos.

Pérola negra tinha samba, mas não era um disco de samba como o cantor tinha ouvido no morro em vivência musical que começou dentro de casa, quando Luiz ouvia o pai, o compositor Oswaldo Melodia, tocar. O álbum que projetou Melodia estabelecia uma ponte que ligava o samba do Estácio ao blues, passando pelo choro e pelo soul.

O romantismo ingênuo do cancioneiro da Jovem Guarda, influência assumida do cantor, ficaria mais evidente em álbuns posteriores com regravações de sucessos da turma comandada por Roberto Carlos em 1965, época em que Melodia ainda frequentava programas de calouros em busca do lugar ao sol que não havia conseguido com a formação de conjunto efêmeros, como Os Filhos do Sol e Os Instantâneos, para animar bailes da juventude pop dos anos 1960. De lá para cá, a partir especificamente da edição do álbum Pérola negra, Melodia firmou nome na música brasileira como um dos compositores de assinatura pessoal.

Quem deveria e quem deverá ganhar o 28º Prêmio da Música Brasileira

28º Prêmio da Música Brasileira

Quem deveria e quem deverá ganhar o 28º Prêmio da Música Brasileira.A justíssima homenagem ao cantor Ney Matogrosso deverá concentrar as maiores atenções

Mauro Ferreira

A justíssima homenagem ao cantor Ney Matogrosso deverá concentrar as maiores atenções de quem assistir ao vivo, ou pelo Canal Brasil, à cerimônia de entrega da 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira. Inclusive pela inédita presença de Chico Buarque no elenco de artistas convidados para interpretar músicas do repertório de Ney. Programada para as 21h de hoje, 19 de julho de 2017, a festa-show no Theatro Municipal do Rio de Janeiro vai intercalar os números musicais com os anúncios dos vencedores entre os 79 nomes indicados em 35 categorias. Como em toda premiação, há alguns resultados previsíveis – pelo histórico e pelo corpo do júri do evento realizado pelo empresário José Maurício Machline desde 1988 – e outros mais indecifráveis. De todo modo, o colunista e crítico musical do G1 arrisca previsões para as categorias mais importantes com base somente na intuição, no mérito de cada indicado e na trajetória do Prêmio da Música Brasileira. Eis quem deveria e quem deverá ser laureado na 28ª edição do Prêmio da Música Brasileira:

  • Categoria Arranjador
    – Quem deveria ganhar: Letieres Leite pelo álbum A saga da travessia
    – Quem deverá ganhar: Zé Manoel, pelo álbum Delírio de um romance a céu aberto

  • Categoria Melhor canção
    – Quem deveria ganhar: Carol Naine, por Dizputa
    – Quem deverá ganhar: Arlindo Cruz, Marcelinho Moreira Zeca Pagodinho por Nunca mais vou jurar

  • Categoria Revelação
    – Quem deveria ganhar: BaianaSystem, pelo álbum Duas cidades
    – Quem deverá ganhar: BaianaSystem, pelo álbum Duas cidades

  • Categoria Projeto Visual
    – Quem deveria ganhar: Giovanni Bianco pelo álbum Amor geral, de Fernanda Abreu
    – Quem deverá ganhar: Filipe Cartaxo, pelo álbum Duas cidades, de BaianaSystem

  • Categoria Projeto Especial
    – Quem deveria ganhar: álbum Delírio de um romance a céu aberto, de Zé Manoel
    – Quem deverá ganhar: álbum Delírio de um romance a céu aberto, de Zé Manoel

  • Categoria Canção Popular
    Álbum:
    – Quem deveria ganhar: Elza chora e canta Lupi, de Elza Soares
    – Quem deverá ganhar: Elza chora e canta Lupi, de Elza Soares

Cantor:
– Quem deveria ganhar: Romero Ferro, pelo álbum Arsênico
– Quem deverá ganhar: Odair José, pelo álbum Gatos & ratos

Cantora:
– Quem deveria ganhar: Elza Soares, pelo CD e DVD Elza chora e canta Lupi
– Quem deverá ganhar: Ivete Sangalo, pelo álbum Acústico em Trancoso

  • Categoria Instrumental
    Álbum:
    – Quem deveria ganhar: A saga da travessia, de Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz
    – Quem deverá ganhar: A saga da travessia, de Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz

Grupo:
– Quem deveria ganhar: Banda Mantiqueira, pelo álbum Com alma
– Quem deverá ganhar: Banda Mantiqueira, pelo álbum Com alma

Solista:
– Quem deveria ganhar: Mestrinho, pelo álbum Mestrinho e Nicolas Krassik
– Quem deverá ganhar: Hamilton de Holanda, pelo álbum Alegria

  • Categoria MPB
    Álbum:
    – Quem deveria ganhar: Abraçar e agradecer, de Maria Bethânia
    – Quem deverá ganhar: Abraçar e agradecer, de Maria Bethânia

Cantor:
– Quem deveria ganhar: João Fênix, pelo álbum De volta ao começo
– Quem deverá ganhar: Lenine, pelo projeto The bridge com Martin Fondse Orchestra

Cantora:
– Quem deveria ganhar: Maria Bethânia, pelo álbum Abraçar e agradecer
– Quem deverá ganhar: Maria Bethânia, pelo álbum Abraçar e agradecer

  • Categoria Pop / Rock/ Reggae / Funk / Hip hop
    Álbum:
    – Quem deveria ganhar: Tropix, de Céu
    – Quem deverá ganhar: Palavras e sonhos, de Luiz Tatit

Cantor:
– Quem deveria ganhar: Rael, pelo álbum Coisas do meu imaginário
– Quem deverá ganhar: Zeca Baleiro, pelo álbum Era domingo

Cantora:
– Quem deveria ganhar: Céu, pelo álbum Tropix
– Quem deverá ganhar: Céu, pelo álbum Tropix

Grupo:
– Quem deveria ganhar: BaianaSystem, pelo álbum Duas cidades
– Quem deverá ganhar: BaianaSystem, pelo álbum Duas cidades

  • Categoria Samba
    Álbum:
    – Quem deveria ganhar: Samba original, de Pedro Miranda
    – Quem deverá ganhar: O quintal do Pagodinho ao vivo volume 3, de Zeca Pagodinho e convidados

Cantor:
– Quem deveria ganhar: Pedro Miranda, pelo álbum Samba original
– Quem deverá ganhar: Martinho da Vila, pelo álbum De bem com a vida

Cantora:
– Quem deveria ganhar: Teresa Cristina, pelo álbum Teresa Cristina canta Cartola
– Quem deverá ganhar: Mart’nália, pelo álbum + Misturado

Grupo:
– Quem deveria ganhar: Galocantô, pelo álbum Pano verde
– Quem deverá ganhar: Casuarina, pelo álbum 7

Prêmio da Música Brasileira homenageia Ney Matogrosso

Theatro Municipal completou 108 anos em 2017 (Foto: Vânia Laranjeira/ Divulgação)

Prêmio da Música Brasileira homenageia Ney Matogrosso. Evento, que será realizado nesta quarta-feira (19) no Theatro Municipal, terá 79 indicados em 35 categorias. Pela 1ª vez, prêmio tem ingressos à venda para o público.

Ney Matogrosso (Foto: Divulgação / Rock in Rio)
Ney Matogrosso (Foto: Divulgação / Rock in Rio)

Ney Matogrosso é o homenageado da vigésima oitava edição do Prêmio da Música Brasileira. O evento será realizado nesta quarta-feira (19) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no Centro da cidade, às 21h.

A cerimônia, apresentada por Maitê Proença e Zélia Duncan, também responsável pelo roteiro, terá 79 indicados em 35 categorias. Pela primeira vez, o evento será aberto ao público, com ingressos à venda.

A direção geral é de José Maurício Machline, idealizador da premiação. Sacha Amback assina a direção musical. No palco, Ney Matogrosso apresentará cinco números representativos de sua trajetória. Entre eles, estarão “Rosa de Hiroshima” (Vinicius de Moraes e Gerson Conrad), “Pro Dia Nascer Feliz” (Cazuza e Frejat) e “Melodia Sentimental” (Heitor Villa-Lobos e Dora Vasconcellos) – nesta última, o cantor será acompanhado pelo Trio Madeira Brasil.

Além do homenageado, a noite contará, ainda, com as participações de Chico Buarque (“As Vitrines”), Ivete Sangalo (‘Sangue Latino”), Alice Caymmi e Laila Garin (“Bomba H”), Lenine (“Bicho de Sete Cabeças II”), Pedro Luís (“O Mundo”), Karol Conka (“Homem com H”) e BaianaSystem (“Inclassificáveis”).

A banda que acompanhará o Ney Matogrosso, e reunida apenas para esta ocasião, será formada por Sacha Amback, Marcos Suzano (programações e percussão), Marcelo Costa (percussão), Alberto Continentino (baixo), André Valle (guitarra), Everson de Moraes (trombone) e Diogo Gomes (trompete).

Desde o ano de sua criação, quando homenageou Vinicius de Moraes, o Prêmio celebra um artista brasileiro, que serve como fonte para o roteiro e repertório da cerimônia de entrega.

Já foram homenageados Dorival Caymmi, Maysa, Elizeth Cardoso, Luiz Gonzaga, Ângela Maria e Cauby Peixoto, Gilberto Gil, Elis Regina, Milton Nascimento, Rita Lee, Jackson do Pandeiro, Gal Costa, Ary Barroso, Lulu Santos, Baden Powell, Jair Rodrigues, Zé Keti, Dominguinhos, Clara Nunes, Dona Ivone Lara, Noel Rosa, João Bosco, Tom Jobim, Maria Bethânia e Gonzaguinha.

Prêmio da Música Brasileira

Local: Theatro Municipal (Praça Floriano, S/N)
Horário: 21h
Ingressos: De R$ 100 a R$ 300 (à venda em www.ingressorapido.com.br)

Demi Lovato está oficialmente em solo brasileiro

Janot defende denúncia contra Temer e afirma que relação com crimes é clara e forte
Janot defende denúncia contra Temer e afirma que relação com crimes é clara e forte
Janot defende denúncia contra Temer e afirma que relação com crimes é clara e forte

Portal Lovato @portallovato · 7 hhá 7 horas
ELA CHEGOU! Demi Lovato está oficialmente em solo brasileiro 🇧🇷❤️ #WelcomeToBrazilDemi

Olha Demi, se tu não cantar Lionheart, Old Ways e o Medley de Warrior

WELCOME RAINHA!! @ddlovato já está em solo brasileiro para realizar seu show em Goiânia! 🇧🇷❤ #WelcomeToBrazilDemi

WELCOME RAINHA!! @ddlovato já está em solo brasileiro para realizar seu show em Goiânia! 🇧🇷❤ #WelcomeToBrazilDemi

WELCOME RAINHA!! @ddlovato já está em solo brasileiro para realizar seu show em Goiânia! 🇧🇷❤ #WelcomeToBrazilDemi
WELCOME RAINHA!! @ddlovato já está em solo brasileiro para realizar seu show em Goiânia! 🇧🇷❤ #WelcomeToBrazilDemi

Olha Demi, se tu não cantar Lionheart, Old Ways e o Medley de Warrior com Nightingale hoje eu te mato, TA AVISADO#WelcomeToBrazilDemi


Olha Demi, se tu não cantar Lionheart, Old Ways e o Medley de Warrior com Nightingale hoje eu te mato, TA AVISADO#WelcomeToBrazilDemi

Demi já esta no Brasil AAAAA #WelcomeToBrazilDemi

Demi Lovato com fãs brasileiros no Brasil!!

Mais uma foto de Demi Lovato com alguns fãs no aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo!

PRIMEIRA FOTO: Demi Lovato com fãs brasileiros no Brasil!! 🇧🇷❤️ #WelcomeToBrazilDemi


Mais uma foto de Demi Lovato com alguns fãs no aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo!
Mais uma foto de Demi Lovato com alguns fãs no aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo!

Demi Lovato já está em solo brasileiro!

Janot defende denúncia contra Temer e afirma que relação com crimes é clara e forte

Demi Lovato já está em solo brasileiro!
A cantora se apresenta no Villa Mix Festival, em Goiânia, na noite deste sábado. Veja a comemoração do fandom:

Janot defende denúncia contra Temer e afirma que relação com crimes é clara e forte
Janot defende denúncia contra Temer e afirma que relação com crimes é clara e forte

Portal Lovato @portallovato
ELA CHEGOU! Demi Lovato está oficialmente em solo brasileiro