A União Europeia condenou nesta segunda-feira “o excessivo e desproporcional uso da força pelas forças de segurança” na Venezuela.

Forças de segurança disparam durante protesto contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em Caracas
Forças de segurança disparam durante protesto contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em Caracas

BRUXELAS (Reuters) – A União Europeia condenou nesta segunda-feira “o excessivo e desproporcional uso da força pelas forças de segurança” na Venezuela, onde as autoridades disseram que 10 pessoas foram mortas em confrontos entre manifestantes antigoverno e as forças de segurança.

O domingo foi um dos dias mais violentos na Venezuela desde o início dos protestos em abril, uma vez que foi realizada uma eleição convocada pelo impopular governo do presidente Nicolás Maduro para a formação de uma Assembleia Constituinte.

“A Venezuela elegeu legítima e democraticamente instituições cujo papel é trabalhar juntar e encontrar uma solução negociada para a atual crise. Uma Assembleia Constituinte, eleita sob circunstâncias duvidosas e às vezes violentas, não podem ser parte da solução”, disse o serviço de política externa da UE.

A UE não mencionou se cogita a imposição de sanções contra a Venezuela, como considerado pelos Estados Unidos.

Reportagem de Gabriela Baczynska

https://redealmeidense.com.br/mundo/wp-content/uploads/2017/07/disparam-1024x746.jpghttps://redealmeidense.com.br/mundo/wp-content/uploads/2017/07/disparam-150x150.jpgMundoMundoA União Europeia condenou nesta segunda-feira 'o excessivo e desproporcional uso da força pelas forças de segurança' na Venezuela. BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia condenou nesta segunda-feira 'o excessivo e desproporcional uso da força pelas forças de segurança' na Venezuela, onde as autoridades disseram que 10 pessoas foram mortas...As últimas notícias sobre o mundo: Notícia - Política - Economia e Negócios.