A conferência de imprensa deste sábado revelou detalhes da candidatura de Marrocos, que foi apresentada à Fifa na sexta-feira. Marrocos planeja gastar US$15,8 bi caso consiga sediar Copa do Mundo de 2026.

A Copa do Mundo é uma prioridade nacional para o nosso governo e é por isso que ele garantiu o investimento exigido com nossos interessantes e inovadores projetos de estádios
FACEBOOK
TWITTER
O presidente da Fifa, Gianni Infantino, defendeu nesta segunda-feira durante passagem pela Colômbia que a Copa do Mundo de 2026 tenha 48 participantes, ao contrário das 32 vagas

CASABLANCA (Reuters) – O Marrocos propôs o uso de 14 estádios e um orçamento de 15,8 bilhões de dólares para gastos em infraestrutura caso ganhe o direito de sediar a Copa do Mundo de futebol em 2026, anunciou o comitê organizador do país em uma coletiva de imprensa no sábado.

O país não construirá novos estádios para o torneio, preferindo renovar e modificar locais já existentes e adicionar assentos temporários a outros, disse o presidente da candidatura Moulay Hafid Elalamy, que também é ministro do governo.

O país do norte da África enfrenta uma proposta conjunta entre Canadá, México e Estados Unidos. Os membros da Fifa decidirão em Moscou no dia 13 de junho qual das candidaturas será escolhida para sediar a Copa de 2026.

A conferência de imprensa deste sábado revelou detalhes da candidatura de Marrocos, que foi apresentada à Fifa na sexta-feira, com o tema central de tornar a infraestrutura de futebol sustentável após o torneio, mantendo baixos os custos de construção.

Pelo menos cinco estádios, denominados estádios modulares e com capacidade em grande parte temporária, terão capacidade reduzida após a Copa para atender às necessidades específicas de suas comunidades locais.

Casablanca e Marrakech terão dois estádios cada, e as demais sedes serão a capital Rabat, Agadir, El Jadida, Fez, Meknes, Nador, Ouarzazate Oujda, Tânger e Tetouan.

“A Copa do Mundo é uma prioridade nacional para o nosso governo e é por isso que ele garantiu o investimento exigido com nossos interessantes e inovadores projetos de estádios”, acrescentou Elalamy.

“Nossa linda e acolhedora nação oferece aos jogadores e torcedores algo muito especial com apenas um fuso horário, uma moeda e todas as cidades-sede estando a um raio de 550 km de Casablanca, o que significa viagens limitadas e uma logística simples.”

“Todas as cidades-sede também estão localizadas a uma hora de carro de um aeroporto, de modo que os jogadores e torcedores precisam apenas se concentrar na única coisa que mais interessa: futebol”.

Marrocos já tentou, sem sucesso, organizar as Copas do Mundo de 1994, 1998, 2006 e 2010. O país ficou em segundo lugar atrás dos EUA em 1994, ficou atrás da França em 1998 e por pouco perdeu a Copa de 2010 para a África do Sul, a única realizada na África.

por Mark Gleeson

http://redealmeidense.com.br/futebol/wp-content/uploads/2018/03/636111108264037356_tjOHNIq.jpghttp://redealmeidense.com.br/futebol/wp-content/uploads/2018/03/636111108264037356_tjOHNIq-150x150.jpgFutebolUncategorizedA conferência de imprensa deste sábado revelou detalhes da candidatura de Marrocos, que foi apresentada à Fifa na sexta-feira. Marrocos planeja gastar US$15,8 bi caso consiga sediar Copa do Mundo de 2026. CASABLANCA (Reuters) - O Marrocos propôs o uso de 14 estádios e um orçamento de 15,8 bilhões de...Tudo sobre Futebol , Jogos resultados, atletas campo  e arbitragem