O governo brasileiro espera que o investimento chinês continue aumentando este ano à medida. O investimento da China no Brasil atingiu o máximo de sete anos em 2017

investimento da China no Brasil atingiu o máximo de sete anos em 2017
Os setores de energia, logística e agricultura atraíram a maior parte da capital chinesa, incluindo investimentos nos ricos campos petrolíferos pré-sal brasileiros e no acordo de US $ 2,25 bilhões da State Power Investment Corp da China para operar a usina hidrelétrica de São Simão.

BRASÍLIA (Reuters) – A China investiu US $ 20,9 bilhões no Brasil em 2017, a maioria desde 2010 como recessão ajudou a reduzir os preços dos ativos e atraiu investidores, de acordo com o Ministério do Planejamento do Brasil.

Os setores de energia, logística e agricultura atraíram a maior parte da capital chinesa, incluindo investimentos nos ricos campos petrolíferos pré-sal brasileiros e no acordo de US $ 2,25 bilhões da State Power Investment Corp da China para operar a usina hidrelétrica de São Simão.

O investimento de 2017 considera os investimentos confirmados e anunciados, mas não inclui acordos de marquise como a compra chinesa de peso pesado da compra de uma participação de controle no competidor brasileiro 99 da Didi Chuxing, já que as empresas privadas não divulgaram o tamanho do negócio.

O investimento chinês entrou no Brasil nos últimos anos, já que o país mais populoso do mundo procura proteger alimentos para seus cidadãos e outros recursos naturais.

O governo brasileiro espera que o investimento chinês continue aumentando este ano à medida que os preços dos ativos permanecem baixos após a recessão que terminou no ano passado, mas o crescimento econômico se recupera.

“O Brasil tem muito menos investimento do que precisamos … precisamos de investidores estrangeiros”, disse Jorge Arbache, vice-ministro de planejamento para assuntos internacionais, em uma entrevista.

As eleições mais abertas deste ano em décadas provavelmente não diminuirão o investimento chinês, disse ele.

“Quando conversamos com os chineses sobre isso ser um ano eleitoral, um ano com forte componente político, os chineses mostram cada vez que eles têm uma visão de longo prazo para o Brasil”, disse Arbache. “É improvável que eles reduza sua presença”.

Um fundo bilateral lançado em 2017 para direcionar US $ 20 bilhões em financiamento de bancos estatais chineses e brasileiros considerará o apoio ao primeiro lote de aplicativos de projetos no final de janeiro, uma iniciativa destinada a impulsionar o investimento chinês no Brasil.

O fundo se concentra em ferrovias e infra-estrutura para ajudar a trazer grãos para o porto, uma vez que a China é o comprador dominante da soja brasileira, mas também considera os setores de fabricação, tecnologia e agricultura.

O primeiro lote de quatro lançamentos será considerado em uma reunião no final de janeiro, com o fundo já recebido 29 propostas, disse Arbache, que é secretário executivo do fundo. Os aprovados serão rápidos para avaliação pelos bancos.

“Se no final de 2018, cinco projetos foram aprovados, acho que será bom para o primeiro ano”, disse Arbache. “Com o processo de aprendizagem, é possível que no próximo ano haverá ainda mais aprovações.

(R $ 1 = 3.2136 reais)

Relatórios de Jake Spring

http://redealmeidense.com.br/economia/wp-content/uploads/2018/01/Brasil-China.jpghttp://redealmeidense.com.br/economia/wp-content/uploads/2018/01/Brasil-China-150x150.jpgecEconomiaO governo brasileiro espera que o investimento chinês continue aumentando este ano à medida. O investimento da China no Brasil atingiu o máximo de sete anos em 2017 BRASÍLIA (Reuters) - A China investiu US $ 20,9 bilhões no Brasil em 2017, a maioria desde 2010 como recessão ajudou a...Análise da produção, distribuição e consumo de bens e serviços