Os economistas consultados pelo relatório Focus, do Banco Central, e que integram o grupo Top-5, portanto os que mais acertam as projeções

Edifício do Banco Central, em Brasília 16/05/2017
Edifício do Banco Central, em Brasília 16/05/2017

SÃO PAULO (Reuters) – Os economistas consultados pelo relatório Focus, do Banco Central, e que integram o grupo Top-5, portanto os que mais acertam as projeções, reduziram a expectativa para a taxa básica de juros para o fim de 2018 a 7,50 por cento, ante previsão anterior de 7,75 por cento, na mediana das projeções, segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira.

Para 2017, as previsões do Top-5 seguiram inalteradas, a 7,75 por cento.

No agregado, no entanto, os analistas mantiveram a previsão de que a Selic encerre a 8 por cento este e o próximo ano, mesmo patamar observado na leitura passada.

Os economistas também elevaram levemente a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Eles estimam que a inflação deve encerrar o ano a 3,33 por cento, ante previsão de 3,29 por cento. Na semana passada, o governo Michel Temer anunciou aumento das alíquotas de PIS/Cofins sobre os combustíveís, o que, na avaliação de analistas, deve trazer algum impacto para a inflação.

A previsão para a inflação medida pelo IPCA em 2018 foi mantida em 4,20 por cento.

Para a atividade econômica, os economistas mantiveram a previsão para crescimento deste ano a 0,34 por cento. Para 2018, a previsão seguiu em 2 por cento.

http://redealmeidense.com.br/economia/wp-content/uploads/2017/07/banco-central-do-brasil-1024x683.jpghttp://redealmeidense.com.br/economia/wp-content/uploads/2017/07/banco-central-do-brasil-150x150.jpgecEconomiaOs economistas consultados pelo relatório Focus, do Banco Central, e que integram o grupo Top-5, portanto os que mais acertam as projeções SÃO PAULO (Reuters) - Os economistas consultados pelo relatório Focus, do Banco Central, e que integram o grupo Top-5, portanto os que mais acertam as projeções, reduziram a...Análise da produção, distribuição e consumo de bens e serviços