Celebrações ocorreram na Basílica que leva nome da Santa, em Salvador.Por meio do sincretismo religioso, festa reuniu católicos e povo de santo.

Celebrações ocorreram na Basílica que leva nome da Santa, em Salvador.
Católicos e povo de santo celebra Nossa Senhora da Conceição (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Celebrações ocorreram na Basílica que leva nome da Santa, em Salvador.
Por meio do sincretismo religioso, festa reuniu católicos e povo de santo.

Henrique Mendes – Do G1 BA

Aos poucos, por volta das 5h da manhã, fiéis de Nossa Senhora da Conceição começaram a chegar às festividades que celebram a Padroeira da Bahia no feriado desta quinta-feira (8), em Salvador. Tudo começou com uma alvorada de fogos. Sob o sol encoberto por nuvens, porém sem chuvas, milhares de pessoas movidas pela fé e devoção foram lotando a Basílica que ostenta o nome da santa, no bairro do Comércio. Ali também, por meio do sincretismo religioso, Oxum (orixá feminina das águas doces) foi celebrada pelos candomblecistas.

Celebrações ocorreram na Basílica que leva nome da Santa, em Salvador.
Celebrações ocorreram na Basílica que leva nome da Santa, em Salvador.

Para todos os fiéis presentes, um dia de agradecimento. O aposentado Raimundo dos Santos Lima, de 77 anos, por exemplo, chegou cedo à Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia para transbordar gratidão pela melhora da saúde da esposa. “Ela enfrentou um problema de saúde e pedi a Nossa Senhora por sua saúde. Hoje, graças a ela, minha esposa está melhorando. Ela ouviu as minhas preces”, disse emocionado. Em 2019, o casal completa 50 anos de união. “Lá, espero que estejamos aqui juntos”, declarou.

Maria Neris, de 67 anos, esperava ter chegado mais cedo nas celebrações. Moradora do Alto do Peru, no subúrbio de Salvador, ela saiu de casa antes das 5h. Com demora de passagem de ônibus, acabou chegando à Basílica por volta das 7h. “Perdi a missa das 6h, mas foi importante ter vindo”, confessou. A idosa, que enfrentou uma cirurgia recente em uma das pernas, insistiu em ir ao local para agradecer pela vida. “A vida depende da fé”, atestou.

Enquanto os fiéis chegavam, dona Guiomar Souza Contenté, de 89 anos, se preparava para cantar no coral da celebração. No palco montado em frente à igreja, contava com orgulho a relação com Nossa Senhora da Conceição.

“Nossa relação existe desde que nasci. Não lembro da minha vida sem suas graças”, contou. Só no coral à santa, ela afirma que já são 20 anos de integração.

O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, irá presidir a última santa missa de corpo presente do primeiro Arcebispo de Maringá
O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, irá presidir a última santa missa de corpo presente do primeiro Arcebispo de Maringá

O arcebispo primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, iniciou a missa solene exatamente às 8h. Aos fiéis, falou sobre a importância de Nossa Senhora da Conceição para Deus. “Maria é a primeira realização dos planos de Deus. A primeira a ser santa e imaculada”, declarou.

Enquanto a missa ocorria do lado externo da Basílica, centenas de fiéis permaneciam dentro da igreja, onde era mantida a imagem peregrina da Padroeira da Bahia. Quem ficou aos pés da santa e entregou flores foi a dona de casa Lília Campos, de 45 anos. Na noite anterior, a filha adolescente não retornou para casa no horário previsto, às 20h. Acabou retornando apenas na manhã desta quinta-feira, às 6h.

“Fiquei muito desesperada. Fiquei aliviada em ver que nada tinha acontecido. Foi uma coisa de adolescente. Aproveitei o susto para pedir a Nossa Senhora por todos os meus filhos. São quatro. No mundo de hoje, nossos filhos precisam mais do que nunca dessa proteção”, alerta.

Sincretismo

Para além dos católicos, a celebração contou com a presença de diversos candomblecistas. Maria Laura Lima, de 22 anos, por exemplo, estava festejando um ano de relação íntima com Oxum.

“Fiz santo há um ano. Na época, fiz uma promessa de que viria aqui agradecer pelas boas coisas que aconteceram comigo nesse período. Vim agradecer por tudo estar fluindo bem”, contou.

Também admiradora de Oxum, Oilda Rejane, de 30 anos, se vestiu de amarelo para homenagear a orixá das águas doces. “Vim pedir saúde para mim, para minha família e para o mundo”, desejou com flores nas mãos.

Lado a lado, católicos e o povo de santo saíram em cortejo pelas ruas do Comércio. Em procissão, as imagens de Jesus, São José e Nossa Senhora da Conceição percorreram a região “abraçados” por 417 bandeiras que representam todos os municípios baianos. “Com todos, soltamos também as pombas, em um símbolo de paz e esperança”, encerrou as homenagens, em missa, o arcebispo Dom Murilo Krieger.

http://redealmeidense.com.br/bahia/wp-content/uploads/2016/12/Celebrações-ocorreram-na-Basílica-que-leva-nome-da-Santa-em-Salvador.jpghttp://redealmeidense.com.br/bahia/wp-content/uploads/2016/12/Celebrações-ocorreram-na-Basílica-que-leva-nome-da-Santa-em-Salvador-150x150.jpgsalBahiaAgradecer,Bahia,da,e,festejada,Nossa Senhora da Conceição,PadroeiraCelebrações ocorreram na Basílica que leva nome da Santa, em Salvador.Por meio do sincretismo religioso, festa reuniu católicos e povo de santo. Henrique Mendes - Do G1 BA Aos poucos, por volta das 5h da manhã, fiéis de Nossa Senhora da Conceição começaram a chegar às festividades que celebram a Padroeira...Tudo sobre a Bahia e Salvador