Anamã, a 168 km de Manaus, enfrenta subida do Rio Solimões.
Cidade ainda aguarda decreto oficial de estado de emergência.

Em imagem registrada pela Defesa Civil nesta terça-feira (19), cidade aparece inundada (Foto: Defesa Civil/Divulgação)
Em imagem registrada pela Defesa Civil nesta terça-feira (19), cidade aparece inundada (Foto: Defesa Civil/Divulgação)

Ruas, escolas e casas localizadas na cidade de Anamã, a 168 quilômetros de Manaus, estão inundadas pela cheia do Rio Solimões, no Amazonas. Segundo a Defesa Civil, a cidade está 100% debaixo d’água, o que tem afetado 8.323 pessoas. Os atendimentos médicos estão sendo feitos em um flutuante montado da cidade. Segundo o órgão, o serviço de coleta de lixo está prejudicado e os resíduos são recolhidos em canoas. A Prefeitura do Município já decretou estado de emergência, mas falta o decreto oficial a ser feito pelo governo do estado.

Nesta semana, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, chegou a fazer um sobrevoo para constatar a situação na cidade. Em todo o Amazonas, 23 municípios decretaram emergência. Um está em calamidade pública.

Canoa recolhe lixo de casas nesta terça-feira (19) (Foto: Defesa Civil/Divulgação)
Canoa recolhe lixo de casas nesta terça-feira (19) (Foto: Defesa Civil/Divulgação)

Em visita ao Amazonas, no dia 18 deste mês, o Ministério da Integração Nacional anunciou repasse de R$ 5 milhões em auxílio às famílias vítimas da cheia em todo o estado.
Em Anamã, 18 comunidades enfrentam transtornos, entre elas Nossa Senhora de Nazaré, Nova Esperança, Sao Jose I e Santa Luzia. Até o momento, 26 escolas tiveram as atividades paralisadas, prejudicando o ano letivo de 2.640, segundo o coordenador-adjunto da Defesa Civil na cidade, Lindolfo Cardoso.
Foto do dia 12 de maio deste ano mostra rua que dá acesso à unidade de saúde inundada (Foto: Susam/Divulgação)
Foto do dia 12 de maio deste ano mostra rua que
dá acesso à unidade de saúde inundada
(Foto: Susam/Divulgação)

“A cidade está 100% alagada, passando por situações adversas. Mais de 500 casas estão com assoalhos submersos pelas águas. A Prefeitura tem feito intervenção com tábuas, abrigo em barcos e deslocamento de pessoas para outras cidades. As equipes de saúde têm feito atendimento nas casas de pessoas idosas e no posto da cidade. A assistência social também vem fazendo visitas domiciliar aos idosos e deficientes e atendendo com cestas básicas”, informou Cardoso.

Os atendimentos no Hospital Francisco Salles de Moura foram suspensos, depois que a água do rio invadiu a rua que dá acesso à unidade de saúde. A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) informou, no dia 12 deste mês, que os atendimentos estão sendo realizados em uma unidade flutuante instalada na cidade.

Cheia alaga 100% de cidade no AM e obriga coleta de lixo em canoas

A Defesa Civil do Estado informou, por meio da assessoria de comunicação, que o governo analisa pedido de situação de emergência na localidade.
“A cidade está completamente alagada. A situaçao está ficando cada vez mais crítica, porque a água está subindo, e casas estão sendo alagadas”, relatou Lindolfo Cardoso.

O coordenador-adjunto observou ainda que o contato com a água contaminada também é um problema enfrentado pelos moradores. Em razão da cheia, a coleta de lixo na cidade está afetada. Equipes da Prefeitura utilizam canoas para recolher o lixo das casas.

Segundo o técnico, os resíduos são transportados por meio de balsas até o lago de Anamã (em terra firme), localizado a 8 km da sede da cidade.

Cheia no Amazonas

Local utilizado como escola tem acesso prejudicado pela cheia (Foto: Defesa Civil/Divulgação)
Local utilizado como escola tem acesso prejudicado pela cheia (Foto: Defesa Civil/Divulgação)

No interior, mais de 20 municípios já decretaram situação de emergência e um está em estado de calamidade pública.

O município de Boca do Acre é o mais afetado pela cheia, com 20.905 pessoas de 4.181 famílias atingidas. A cidade, que fica no Sul do estado e é banhada pelo Rio Purus, está em estado de calamidade pública.

Humaitá, no Rio Madeira, e outros três municípios do Médio Solimões – Fonte Boa, Uarini, Alvarães – estão em situação de alerta.

Cidade ainda aguarda decreto oficial
Cheia alaga 100% de cidade no AM e obriga coleta de lixo em canoas
Anamã, a 168 km de Manaus, enfrenta subida do Rio Solimões.
Cidade ainda aguarda decreto oficial de estado de emergência.
amamazoniaUncategorizedAmazôniaAnamã, a 168 km de Manaus, enfrenta subida do Rio Solimões. Cidade ainda aguarda decreto oficial de estado de emergência. Ruas, escolas e casas localizadas na cidade de Anamã, a 168 quilômetros de Manaus, estão inundadas pela cheia do Rio Solimões, no Amazonas. Segundo a Defesa Civil, a cidade está 100%...Selva amazônica - Seja bem vindo