“Nem 8 nem 80. Não dá para ignorar impacto do choque externo na nossa inflação. Impacto do choque externo na inflação não é “8 nem 80”, diz Ilan

Impacto do choque externo na inflação não é "8 nem 80", diz Ilan
Brasília – O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento (CMO), fala sobre a política monetária, creditícia e cambial (Wilson Dias/Agência Brasil)

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reafirmou nesta sexta-feira que há impacto do choque externo na inflação brasileira, mas voltou a reforçar que não há relação mecânica com a condução da política monetária.

“Nem 8 nem 80. Não dá para ignorar impacto do choque externo na nossa inflação, mas também não é 80”, afirmou ele na abertura de evento do BC no Rio de Janeiro.

Ele reiterou a mensagem de que choques externos devem ser combatidos apenas no impacto secundário. E também repetiu que, para as próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC vê como adequada a manutenção da taxa de juros no patamar corrente, de 6,5 por cento ao ano.

Por Marcela Ayres